Importância da 
INICIATIVA

       Sapos, rãs e pererecas são parte importante da biodiversidade brasileira, com mais de 850 espécies ocorrendo no país. Eles ocorrem em paisagens naturais, agrícolas e urbanas, onde desempenham importantes funções ecológicas, como consumidores de invertebrados —incluindo espécies de interesse para a agricultura e saúde humana, como insetos vetores de doenças e escorpiões— e como presas de animais maiores. Dessa forma, estes anfíbios atuam como um elo imprescindível no fluxo de energia entre diferentes espécies animais dos ecossistemas em que habitam.

 

       Estes anfíbios também são sensíveis à poluição e à degradação ambiental, sendo pouco tolerantes a ambientes onde a vegetação é escassa, onde as temperaturas são altas e a umidade do ar baixa, ou a corpos d´água contaminados por agrotóxicos, substâncias derivadas de petróleo ou resíduos industriais.

 

       Reunindo informações sobre quantas e quais espécies de sapos, rãs e pererecas estão presentes em que regiões da cidade, nossa equipe pretende elaborar um diagnóstico aproximado de quais bairros reúnem as melhores condições para a sobrevivência destes animais. Também pretende avaliar quais características destes lugares os tornam bons o suficiente para abrigar tanto os seus moradores e suas atividades, quanto permitir a conservação de algumas espécies da nossa fauna.

 

       Para atingirmos estes objetivos, contamos com a ajuda de cidadãs e cidadãos interessados em nossa fauna e em questões ambientais, para obter o máximo de informação possível sobre estes animais e sobre onde estão em nossa cidade. O foco da nossa iniciativa é a cidade de Recife e municípios da Região Metropolitana.

Como o
SAPOS DA CIDADE
funciona?

 

       Se você está na Região Metropolitana de Recife e encontrou um sapo, uma rã ou uma perereca em sua casa, quintal ou em sua rua, tire uma foto ou faça um vídeo e publique no Instagram ou Facebook com a hashtag #saposdacidade. Sempre que possível, adicione a localização à postagem. Quanto mais exato o endereço, mais informativo o registro será para a nossa equipe.

 

       Se você consegue escutar algum desses animais cantando, mas não consegue vê-lo, sem problemas. Você pode gravá-lo com seu celular e mandar como mensagem de voz  para nosso perfil do Instagram @saposdacidade ou enviar o arquivo de áudio para saposdacidade@gmail.com, com o assunto “Sapos da Cidade”.

 

       Fotos de girinos também são muito importantes para mapearmos locais onde algumas espécies estão se reproduzindo. Se houver girinos em alguma poça, lagoa ou tanque em sua vizinhança, tente fotografar o local e os girinos, e publique com a mesma hashtag #saposdacidade ou envie como mensagem direta para nosso perfil no Instagram.

 

       Para atualizações sobre o andamento desta iniciativa, por favor, verifique nosso perfil no Instagram. Mas antes, leia algumas informações importantes abaixo.

 

Para a SUA segurança

       Esta iniciativa surge no contexto de uma pandemia global de covid-19, onde o isolamento social é fundamental para a desaceleração das taxas de novos contágios. A ideia desta iniciativa é que todos entrem em contato mais próximo com anfíbios que ocorrem em seus arredores. Isto nos ajuda a obter dados mais precisos sobre a localização destes animais e permite a todos participem da iniciativa sem aumentar seu risco de exposição.

 

       Haverá um tempo, no futuro, para que todos que gostaram de participar desta iniciativa fotografem anfíbios em outros locais, dentro ou fora de sua vizinhança. Mas, por hora, recomendamos que sigam as recomendações dos órgãos de saúde e fiquem em casa. 
 

Para a segurança dos
ANIMAS

 

    Como integrantes da fauna nativa do país, sapos, rãs e pererecas não devem ser manuseados ou coletados para qualquer ação relativa a esta iniciativa. Estes procedimentos são regulamentados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade www.icmbio.gov.br e requerem autorização prévia.

 

       Os anfíbios também possuem uma pele bastante permeável, o que os torna vulneráveis a qualquer substância presente em nossas mãos, como resíduos de cosméticos ou repelentes de insetos. Por outro lado, estes animais não representam nenhum risco a seres humanos. Poucas espécies, que possuem concentrações significativas de veneno em glândulas da pele, representam algum risco à saúde apenas se ingeridas.

 

     Portanto, estes animais podem ser fotografados, filmados ou gravados bem de perto, sempre respeitando nossa recomendação de não os tocar.

 

Qualquer foto
AJUDA?

Sim! Qualquer foto feita com smartphone ou câmera digital é útil.

 

       Se for fotografar em um local escuro, uma lanterna pode ajudar a iluminar o sapo, rã ou perereca, permitindo que a foto seja feita sem flash e diminuindo o risco que a luz da foto “estoure”. Fotos em vista dorsolateral (com as costas e a lateral do animal visíveis na mesma foto) facilitam muito a identificação da espécie.  Veja alguns exemplos de fotos feitas com aparelhos smartphone na figura abaixo.

     Estas são qualidades desejáveis para uma foto, mas, de forma alguma, essenciais. Encontrou um desses bichos em sua casa? Fotografe e compartilhe conosco! 

Como determinar a LOCALIZAÇÃO do meu registro?

 

       A forma mais fácil é adicionar uma localização quando publicar sua foto no Instagram ou Facebook. Ambas as redes contam com uma base de endereços razoavelmente completa. Serve o nome da rua ou avenida com o número, mesmo que aproximado, do local. Ou algum ponto de referência próximo, como um ponto comercial.

 

     Alternativamente, você pode mandar o registro fotográfico e o endereço correto (ou coordenadas geográficas obtidas, por exemplo através do Google Earth ou Google Maps) via mensagem direta para nosso perfil no Instagram @saposdacidade ou para o e-mail anfibios.ufpe@gmail.com, com o assunto “Sapos da Cidade”.

Quero saber qual o nome da espécie que registrei,
COMO PROCEDER?

 

      Nossa equipe monitorará as redes sociais diariamente pela hashtag #saposdacidade. Se você tiver curiosidade ou interesse em saber o nome popular e científico do bichinho que fotografou, marque a gente na descrição da foto @saposdacidade e pergunte “Qual é a espécie?”. Responderemos o mais breve possível. 

CONTATO
Centro de Biociências (CB)

 dirccb@ufpe.br

(81) 2126.8840 (81) 2126.8358  Fax: (81) 2126.8350

  • Facebook Social Icon
Laboratório de Herpetologia - UFPE (LHERP - UFPE)

LHERP: (81) 2126-7804 labherpetoufpe@gmail.com
Responsáveis: (81) 2126.8353  pedro.nunes@gmail.com / anfibios.ufpe@gmail.com

Endereço: Coleção Herpetológica (CB - UFPE)

Universidade Federal de Pernambuco

Departamento de Zoologia, Centro de Biociências

Av. Professor Moraes Rego, 1235. Cidade Universitária

CEP: 50670-901 Recife, Pernambuco, Brasil.

© 2017 LHerpUfpe. Created by Anna Mello